Obelisco do Ibirapuera

Você já visitou o Parque do Ibirapuera e se perguntou o que é e qual o motivo de um monumento imenso estar nas proximidades do parque?

Muito provável que se você for paulistano saiba que este monumento é o Obelisco do Ibirapuera.

Mas você sabe a razão dele estar bem ali?

Conheça agora o Obelisco do Ibirapuera, uma verdadeira aula da história paulistana.

O maior monumento da cidade de São Paulo com 72 metros de altura, o Obelisco do Ibirapuera ou Obelisco de São Paulo, também conhecido como Obelisco Mausoléu aos Heróis de 32, é um monumento funerário brasileiro que fica nos arredores do Parque do Ibirapuera.

Obelisco próximo a Avenida 23 de Maio (Foto: Matheus Pinheiro de Oliveira e Silva)

Obelisco próximo a Avenida 23 de Maio (Foto: Matheus Pinheiro de Oliveira e Silva)

Símbolo da Revolução Constitucionalista de 1932, presta uma homenagem aos estudantes e 713 soldados mortos durante a Revolta Paulista contra o governo de Getúlio Vargas e por uma nova Constituição.

A construção do monumento foi iniciada em 1947 e sua inauguração ocorreu em 9 de julho de 1955, um ano após a inauguração do Parque do Ibirapuera.

Construção do Obelisco do Ibirapuera (Foto: Museu da cidade de São Paulo)

Construção do Obelisco do Ibirapuera (Foto: Museu da cidade de São Paulo)

Porém, o Obelisco só foi concluído em 1970.

O Obelisco do Ibirapuera teve sua arquitetura inspirada no obelisco americano e possui 1932 m², alusão a homenagem aos heróis de 1932.

O mausoléu é um projeto do escultor ítalo-brasileiro Galileo Ugo Emendabili e teve a execução realizada pelo engenheiro alemão radicado no Brasil, Ulrich Edler.

O Obelisco do Ibirapuera esteve fechado para reformas durante 12 anos e foi reaberto em 9 de dezembro de 2014 para visitação.

Poemas e frases do escritor Guilherme de Almeida estão espalhados pelo local, como na fachada que ostenta os dizeres: “Viveram pouco para morrer bem, morreram jovens para viver sempre”.

Fachada de entrada do Obelisco do Ibirapuera (Foto: Matheus Pinheiro de Oliveira e Silva)

Fachada de entrada do Obelisco do Ibirapuera (Foto: Matheus Pinheiro de Oliveira e Silva)

Na entrada do Obelisco estão presentes uma série de arcos que recepcionam os visitantes, diante de feixe de luz que vai se acabando conforme você entra, transformando o recinto em um lugar sombrio.

Entrada do Obelisco do Ibirapuera (Foto: Matheus Pinheiro de Oliveira e Silva)

Entrada do Obelisco do Ibirapuera (Foto: Matheus Pinheiro de Oliveira e Silva)

Um corredor leva até a cripta onde estão depositados os restos mortais dos combatentes da Revolução Constitucionalista de 1932, feitas de mármore branco.

Cripta com restos mortais dos combatentes  (Foto: Matheus Pinheiro de Oliveira e Silva)

Cripta com restos mortais dos combatentes (Foto: Matheus Pinheiro de Oliveira e Silva)

São duas alas na direita e duas na esquerda com os nomes dos heróis de 1932 estampados em cada cripta.

Mais a frente possui uma área com mais criptas, reiterando a homenagem aos combatentes.

Área dos restos mortais dos combatentes (Foto: Governo do Estado de São Paulo)

Área dos restos mortais dos combatentes (Foto: Governo do Estado de São Paulo)

No centro do Obelisco está presente a figura de um soldado, como se fosse o “guardião” do local.

Guardião do Obelisco (Foto: Marcus Oliveira)

Guardião do Obelisco (Foto: Marcus Oliveira)

Nesta obra estão sepultados Martins, Miragaia, Dráuzio e Camargo, estudantes mortos pelas tropas federais num confronto ocorrido em 23 de maio de 1932, que deram origem à célebre sigla M.M.D.C.

Para homenageá-los e preservar a memória da rebelião, há cenas bíblicas e passagens da história paulista feitas com pastilhas de mosaico veneziano, bem acima da obra do “guardião”.

Mosaicos e abertura para luz (Foto: Governo do Estado de São Paulo)

Mosaicos e abertura para luz (Foto: Governo do Estado de São Paulo)

Além da beleza dos mosaicos, se você olhar para cima verá uma abertura bem na parte mais elevada do Obelisco do Ibirapuera.

Esta fenda faz com que os raios de sol penetrem e criem um círculo de luz que ilumina o túmulo dos estudantes M.M.D.C.

Guardião do Obelisco do Ibirapuera (Foto: Governo do Estado de São Paulo)

Guardião do Obelisco do Ibirapuera (Foto: Governo do Estado de São Paulo)

Nas proximidades estão presentes três capelas coloridas, concebidas pelo escultor ítalo-brasileiro Galileo Ugo Emendabili, que completam o ambiente repleto de história e religiosidade.

Capela com imagem feita com mosaicos (Foto: Marcus Oliveira)

Capela com imagem feita com mosaicos (Foto: Marcus Oliveira)

Tombado pelos Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (CONDEPHAAT) e pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (CONPRESP), o Mausoléu do Soldado Constitucionalista, localizado no Obelisco do Ibirapuera, faz jus ao reconhecimento.

A visitação pode dar impressão de ser rápida e sem informações complementares, visto que as placas informativas no interior do monumento são poucas e com dados defasados.

De toda maneira, aproveite para conhecer o Obelisco do Ibirapuera, um patrimônio com muitas histórias do passado de São Paulo!

Dados gerais:

Obelisco do Ibirapuera e Monumento Mausoléu ao Soldado Constitucionalistas de 1932
Local: Praça Ibrahim Nobre, s/n – Vila Mariana, CEP 04008-140 – São Paulo (próximo ao portão 3 do Parque do Ibirapuera)
Quanto: Gratuito
Visitação: Aberto de segunda-feira à domingo, das 10 às 16 horas

Quer mais Move, Learn e Enjoy na sua vida?

Curta nossa página no Facebook

Veja nossas fotos no Instagram

matheus template_editado-1

Posted in São Paulo and tagged , , , , , .

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *