Quem somos

O interessante da vida é que podemos fazer diversas analogias e uma da qual mais gosto é a comparação dela com a história de um bambu. Isso mesmo, daqueles que os pandas comem!

“Depois de plantada a semente deste incrível arbusto, não se vê nada por aproximadamente 5 anos, exceto um lento desabrochar de um minúsculo broto a partir do bulbo.

Durante 5 anos, todo o crescimento é subterrâneo, invisível a olho nu, mas uma maciça e fibrosa estrutura de raiz que se estende vertical e horizontalmente pela terra está sendo construída. Então, no final do 5º ano, o bambu chinês cresce até atingir a altura de 25 metros.

Um escritor de nome Covey escreveu:

Muitas coisas na vida pessoal e profissional são iguais ao bambu chinês. Você trabalha, investe tempo, esforço, faz tudo o que pode para nutrir seu crescimento, e às vezes não vê nada por semanas, meses ou anos.

Mas se tiver paciência para continuar trabalhando, persistindo e nutrindo, o seu 5º ano chegará, e com ele virão um crescimento e mudanças que você jamais esperava.

O bambu chinês nos ensina que não devemos facilmente desistir de nossos projetos e de nossos sonhos. Em nosso trabalho especialmente, que é um projeto fabuloso que envolve mudanças de comportamento, de pensamento, de cultura e de sensibilização, devemos sempre lembrar do bambu chinês para não desistirmos facilmente diante das dificuldades que surgirão.” (Autor Desconhecido).

Assim foi com o projeto de escrever um blog de viagens, como o crescimento do bambu.

Desde 2009, quando fui morar em Medan – capital do Norte de Sumatra, na Indonésia, para estudar o 3º colegial pelo programa do Rotary Internacional chamado Rotary Youth Exchange Program (RYEP) durante 1 ano, que tinha planos de escrever um blog de viagens.

Era fato esta ideia surgir, pois um ano em um país asiático e totalmente diferente de cultura e tradições tão marcantes trariam a oportunidade de relatar experiências e histórias de vida marcantes. Mas a ideia era apenas como a semente do bambu, estava apenas em seu estágio inicial e não havia crescido a ponto de ser executada.

Após um ano eu me envolvi em organizações de jovens na universidade e durante dezembro de 2011 e março de 2012 eu fiz um trabalho voluntário pela AIESEC para dar aulas para crianças de um bairro carente de Kolkata, na Índia.

Assim como minha experiência na Indonésia, eram 3 meses intensos de vivência, pessoas e lugares marcantes que estavam entrando nos meus planos de escrever o blog de viagens para disseminar para os amantes de viagens que estereótipos existem, mas são feitos para serem quebrados.

Entre idas e vindas, acabei viajando por 14 países e imergindo em culturas diversas que me fizeram abrir a mente para o mundo e me considerar um cidadão global.

Mas ainda o bambu não havia crescido, apenas estava com as raízes bem sólidas, mas faltava algo para crescer e atingir os céus.

O entusiasmo era o que faltava!

Após a atitude de fazer alguns brainstorms para decidir o nome e a marca do blog, foi decidido que seria inRoutes, ou “Nas Rotas”.

Com isso o bambu começava a crescer e atingir os céus, pois o sonho e a persistência em tornar o projeto realidade era maior do que as barreiras enfrentadas.

Foi aí que em 23 de Dezembro de 2014 o blog de viagens inRoutes ia ao ar!

InRoutes é um blog de viagens que visa disseminar a essência das viagens de experiência por diversos lugares do planeta através da máxima Move (Mova-se), Learn (Aprenda) e Enjoy (Divirta-se).

Nosso lema: Move, Learn e Enjoy:

1- Mova-se! Sinta o desafio interior e saia de sua zona de conforto.

2- Aprenda com diversidades e com seu eu interior através de experiências incríveis de viagens.

3- Divirta-se! Porque o processo todo tem que ser divertido.

Viaje por diversas rotas, mas não se esqueça de deixar seu impacto positivo por onde passar. Nunca é tarde para um novo desafio. Nunca é tarde para explorar os destinos mais prováveis, como sua cidade ou cidades vizinhas, e improváveis, como países de outros continentes, ou até mesmo a Antártica.

E lembre-se: “O mundo é um livro e quem não viaja, lê apenas uma página” (Santo Agostinho).

QUEM FAZ

matheus template_editado-1

POR ONDE ANDEI

Já tive a oportunidade de carimbar o passaporte em 16 países diferentes e minha meta é de alcançar 50 países visitados antes dos 50 anos!

Aprendizados e experiências de intercâmbio cultural e vivência com povos com tradições e crenças diversas fazem minhas vontades ainda maiores.

MATHEUS VISITOU 16 PAÍSES PELO MUNDOPaíses visitados (Foto: Matador Network)

ENGLISH VERSION

The interesting in life is that we can make several analogies and the one I like most is the comparison of the story of a bamboo. Yeah, those that pandas eat!

“After planted the seed of this amazing bush, can not see anything for about 5 years, except a slow unfolding of a tiny sprout from the bulb.

During 5 years, all the growth is underground, invisible to the naked eye, but a massive, fibrous root structure extending vertically and horizontally through the earth is being built. Then at the end of the 5th year, the Chinese bamboo grows to a height of 25 meters.

A writer called Covey wrote:

Many things in personal and professional life are equal to the Chinese bamboo. You work, invest time, effort, does all he can to nurture its growth, and sometimes do not see anything for weeks, months or years. But if you have the patience to keep working, persisting and nourishing, its 5th year will come, and with it will come growth and change than you ever expected.

The Chinese bamboo teaches us that we should not easily give up our projects and our dreams. In our work especially, which is a fabulous project that involves changes in behavior, thought, culture and awareness, we must always remember the Chinese bamboo to not easily give up in the face of difficulties that will arise. “(Author Unknown).

So it was with the project of writing a travel blog, as the growth of bamboo. Since 2009, when I travelled to Medan – the capital of North Sumatra, Indonesia, to study the senior high school as a Rotary International program called Rotary Youth Exchange Program (RYEP) for 1 year, I had plans to write a travel blog. It was there actually where this idea arise, living for a year in an Asian country, totally different culture and markable traditions that would bring the opportunity to share experiences and remarkable life stories. But the idea was just as the seed of bamboo, was only in its early stages and had not grown to be performed.

After a year I got involved in youth organizations at the university and during December 2011 to March 2012 I did volunteer work forAIESEC to teach underprivileged children in Kolkata, India. As my experience in Indonesia, were 3 intense months of experience, people and remarkable places that were entering in my plans to write the travel blog to spread for travel enthusiasts that stereotypes exist, but are made to be broken.

Between coming and going, just traveling through 14 countries and immersing in different cultures that made me open my mind to the world and consider myself a global citizen.

But still the bamboo had not grown only was the rock solid roots, but it lacked something to grow and reach the heavens.

The enthusiasm was the missing secret!

After take the attitude, I did some brainstorming to decide the blog´s name and brand and it was decided that it would be called inRoutes!

With this, the bamboo began to grow and reach the heavens, because the dream and persistence in making the project reality was greater than the barriers faced.

On December 23rd, 2014 the inRoutes travel blog was launched!

Thus the bamboo began to grow and reach the heavens, because the dream and the persistence to make the project reality was greater than the barriers faced previously and we crate the blog inRoutes!

InRoutes is a travel blog that aims to disseminate the essence of the travel experience for many places on the planet through the motto Move (Move), Learn (Learn) and Enjoy (Enjoy).

Our motto: Move, Learn and Enjoy:

1- Move! Feel the inner challenge and go out of your comfort zone.

2- Learn with diversity and with your inner self through incredible travel experiences.

3- Enjoy! Because the whole process has to be fun.

Travel through different routes, but do not forget to leave your positive impact wherevere you go. Never is too late for a new challenge. Never is too late to explore the most likely destinations, like your city or surrounding towns, and unlikely, as countries from other continents, or even Antarctica.

And remember: “The world is a book and those who do not travel, read only a page” (St. Augustine).

One Comment

  1. Oi, Matheus. Estou planejando meu trabalho voluntário e estou bem tentada a ir pra Índia. Posso manter contato para bater papo e tirar dúvidas?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *